ESPÉCIE DE GRAMÍNEA CRITICAMENTE EM PERIGO É OBJETO DE PESQUISA E CONSERVAÇÃO NO JARDIM BOTÂNICO DE POÇOS DE CALDAS

O Jardim Botânico de Poços de Caldas tem como missão a conservação da flora regional, sendo o foco principal, a região do planalto de Poços de Caldas e áreas de importância ecológica adjacentes. Infelizmente, em virtude de diversos fatores, a diversidade biológica vem sendo cada vez mais ameaçada, correndo risco de ser extinta.

A Lista Nacional de Espécies da Flora Ameaçadas de Extinção, disponibilizada pelo Ministério do Meio Ambiente em 2014, reconhece que há a ocorrência na região de várias espécies em risco de extinção. Destas, um total de 16 espécies, variando desde plantas herbáceas e gramíneas até árvores de grande porte, já tiveram sua ocorrência confimada através de expedições e trabalhos realizados pela equipe técnica do Jardim Botânico de Poços de Caldas.

Dentro das ações que visam a conservação de espécies ameaçadas de extinção do planalto de Poços de Caldas, relizado pela Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas, consta a espécie criticamente em perigo de extinção Anthaenantiopsis fiebrigii pertencente a família botânica Poaceae (gramíneas), a qual possui uma distribuição bastante fragmentada. Ocorre na Bolívia, Paraguai, Argentina e no Brasil. No Brasil, ocorre pontualmente em apenas três estados: no Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e em Minas Gerais. Sendo que em Minas Gerais, ocorre apenas no município de Poços de Caldas, com histórico de registros de apenas duas coletas, uma em 1960 no “Morro do Ferro” e outra em 1982 no “Campo do Saco”.

Atualmente, com o esforço de coleta e mapeamento realizado pela equipe do Departamento Técnico Centífico da FJBPC, foram encontrados três novos pontos de ocorrência da espécie, sempre em campos de altitude próximo a locais de nascente d'água. Sendo que um dos locais se encontra dentro da área da própria FJBPC. A dificuldade em encontrar o capim se dá principalmente à complexidade de identificação, uma vez que só é possível a confirmação da espécie após a floração.

Categoria: 
Conservação
Pesquisa

HERBÁRIO ANDERS FREDRIK REGNELL - ATUALIZAÇÃO DE DADOS - AGOSTO/2017

O Departamento Técnico Científico da Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas, no que tange a sua competência e atribuições, entre elas: promover estudos, pesquisas e levantamentos florísticos sobre vegetação e flora nativa, bem como realizar estudos nas áreas de morfologia vegetal e taxonomia, constitui um acervo de relevante representatividade da flora regional. Parte deste acervo está organizado no Herbário/FJBPC.

O Herbário da Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas, denominado Anders Fredrik Regnell (AFR), teve suas atividades iniciadas em 2010, recebendo e organizando os materiais coletados através de trabalhos de campo, com abrangência principalmente na flora regional do planalto de Poços de Caldas.

O Herbário funciona como um local que concentra um acervo de plantas desidratadas ou de partes delas, técnica e científicamente preparadas para estudos comparativos, históricos e documentários da flora regional. Para isso, as amostras de plantas devem ser secas e prensadas, evidenciando as partes essenciais para a determinação das espécies, como folhas, flores e frutos.

Atualmente o Herbário AFR compreende cerca de 3.200 exemplares, dentre as quais, há espécies de Angiospermas, Gimnospermas, Pteridófitas, Briófitas e Fungos, distribuidos em 155 famílias diferentes. Deste total foram identificadas 558 espécies distintas. A relação de espécies identificadas é atualizada periodicamente.

Acesse o arquivo com a relação de espécies do Herbário AFR clicando aqui.

Categoria: 
Pesquisa

PROJETO PARIPAROBA – ETNOBOTÂNICA

APRESENTAÇÃO

 

O termo “etnobotânica” surgiu em 1895 com os estudos do botânico norte americano John W. Harshberger, como sendo uma área de estudos sobre plantas utilizadas por povos primitivos (Balick & Cox, 1996). Heinrich et al. (2004) conceituaram a etnobotânica como:

 

... ciência que estuda a relação entre humanos e plantas em toda sua complexidade, e é baseada geralmente na observação detalhada e estudo do uso que uma sociedade faz das plantas, incluindo as crenças e práticas culturais associadas com este uso. Foca não somente as plantas medicinais, mas também outros produtos derivados da natureza, como: alimentos, plantas utilizadas em rituais, corantes, fibras, venenos, fertilizantes, materiais de construção para casas, barcos, ornamentos, óleos, etc.

 

Na atualidade o conceito de etnobotânica evoluiu agregando novos aspectos como as diversas técnicas de manejo empregadas na conservação de espécies vegetais, componentes ecológicos, valor e importância dos recursos naturais para as comunidades (Magalhães, 2006). Com isso apresenta várias aplicações, entre elas: valorização da diversidade cultural e vegetal; resgate, valorização e entendimento sobre as dinâmicas do conhecimento tradicional a respeito da utilização da flora; conservação da flora; desenvolvimento científico e tecnológico baseado na diversidade e potencialidade vegetal (CEE, 2016).

Sendo assim, o projeto Pariparoba busca explorar as vertentes apresentadas acima, resgatando os aspectos que definem a utilização de plantas nas seguintes áreas: terapêutica, litúrgica, agrícola, artística, engenharia e gastronômica.

 

Para maiores informações sobre o projeto entre em contato através do email: regnelleascientia@outlook.com

 

  Acesse o link https://www.youtube.com/watch?v=A8QZ4xgap4s, assista ao vídeo ilustrativo e conheça do que trata o projeto.

 

Referências

 

Balick, M. & Cox, P.1996. Plants, People and Culture. The Science of Ethnobotany, Scientific American Library. USA. 228 pp.

 

CEE. 2016. Centro de Estudos Etnofarmacológicos. UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo. Disponível em: http://www.cee.unifesp.br/etnofarmacologia.htmAcesso em: 12/12/2016.

 

Diegues, A. C. 2001. O Mito Moderno da Natureza Intocada. 3° edição. Editora Hucitec. São Paulo – SP.

 

HEINRICH, M.; BARNES, J.; GIBBONS, S.; WILLIAMSON, E. M. 2004. Fundamentals of Pharmacognosy & Phytotherapy. Edinburgh: Churchill Livingstone, 2004. 320 p.

Categoria: 
Conservação
Pesquisa

OFICINA E PALESTRA NA PROGRAMAÇÃO DE ENCERRAMENTO DO SEMESTRE

Olivicultura e plantas medicinais são os temas abordados para conhecimento do público

Como parte da programação de encerramento deste primeiro semestre, a Fundação Jardim Botânico Poços de Caldas (FJBPC), instituição de administração indireta do município Sul-mineiro, promove jornada sobre olivicultura e oficina sobre plantas medicinais nesta quinta e sexta-feira, dias 23 e 24, respectivamente, em seu Centro de Visitantes. A FJBPC está localizada à Rua Paulo de Oliveira, 320, Parque Véu das Noivas, zona Oeste do município.

Olivicultura

Às 13h30 desta quinta-feira acontece a abertura da “1ª Jornada NAVE Oliva”, promovida pela FJBPC através Núcleo Avançado de Visão Empreendedora em Olivicultura (NAVE Oliva), sob coordenação do engenheiro agrônomo do Gabriel Tarquínio Bertozzi, que fará introdução abordando a olivicultura na região, em especial, em Poços de Caldas.

O evento também terá a participação do presidente da Associação de Apicultores do Planalto de Poços de Caldas e Região (APIS-Poços), Joel Torres, que abordará a influênciae a possibilidade do uso das melíponas na polinização, estratégias para os produtores em experimentos de campo com as abelhas sem ferrão, entre outros aspectos.

Durante o evento, palestrantes também abordarão a olivicultura do cultivo à produção do azeite, os problemas enfrentados e soluções através do cotidiano do produtor regional.

Plantas Medicinais

Durante toda a sexta-feira, 24, a FJBPC promove, através da Divisão de Educação Ambiental (DEA), Oficina de Plantas Medicinais sob a coordenação do biólogo Gustavo Fonseca, responsável pela DEA, que fará a abertura e introdução ao cultivo e uso dessas plantas.

A Oficina terá a participação das professoras da Faculdade Pitágoras, Maria do Socorro Fernandes, farmacêutica pela UNIFENAS e doutora em Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas UNESP/Araraquara, e Juliana Carvalho Ribeiro, farmacêutica pela UNIFAL-MG e doutora em Toxicologia pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas USP/Ribeirão Preto

O objetivo do evento se norteia em apresentar o histórico, aplicações e definições das plantas medicinais, também as consequências do uso errôneo e casos de intoxicações e internações medicamentosas, além de realizar aula prática de formulações fitoterápicas e fito-cosméticas.

Categoria: 
Pesquisa

JARDIM BOTÂNICO PROMOVE I JORNADA NAVE OLIVA

Evento busca atrair o público para conhecimento sobre olivicultura e suas técnicas

A Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas (FJBPC), instituição da administração indireta da prefeitura do município Sul-mineiro, através do Núcleo Avançado de Visão Empreendedora em Olivicultura (NAVE Oliva) promove este mês a “I Jornada NAVE Oliva”, com o tema “Produção de Azeite x Produtividade”, a palestra abordará assuntos relacionados a olivicultura, do cultivo à produção do azeite, os problemas enfrentados e soluções através do cotidiano do produtor regional. O evento, que acontece no próximo dia 23 no Centro de Visitantes da FJBPC, localizado à Rua Paulo de Oliveira, 320, Parque Véu das Noivas, zona Oeste do município, será aberto ao público em geral.

O evento faz parte da série de atividades programadas pela FJBPC para acontecer até o final deste mês como encerramento do semestre.

A Jornada terá início às 13h30. Os participantes terão oportunidade para receber informações sobre a olivicultura, atividade agrícola que trata do cultivo da oliveira. As palestras visam lançar ideias, responder a dúvidas e aproximar os produtores, público em geral e interessados pelo segmento na troca de informações e conhecimentos.

O engenheiro agrônomo e coordenador do NAVE Oliva, Gabriel Tarquínio Bertozzi, o presidente da Associação de Apicultores do Planalto de Poços de Caldas e Região (APIS-Poços), Joel Torres, o produtor regional de azeite Mario Borriello e a agrônoma, coordenadora e pesquisadora da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo na Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio (Projeto Oliva SP), Edna Bertoncini, irão abordar o manejo e técnicas de cultivo; a importância das abelhas na polinização das espécies, uma técnica pouco utilizada na região e com grande eficácia.

Ainda durante a “I Jornada NAVE Oliva – Produção de Azeite x Produtividade”, também serão abordados temas destacando a busca e atuações para a sanidade dos olivais, como o combate às pragas e doenças que podem afetar a espécie, a experiência e vivência do produtor regional, além dos princípios básicos de análise sensorial.

Por fim, para marcar o encerramento do evento, o público terá a chance de participar de degustação de azeites.

Categoria: 
Pesquisa

Valid XHTML 1.0 StrictCSS válido!