Você conhece a relação entre as florestas e a água?

Hoje dia 22 de março comemoramos o dia mundial da água e ontem dia 21 de março foi comemorado o dia internacional das florestas. Mas o que estas duas comemorações ambientais têm em comum? Toda a natureza está conectada e o equilíbrio ambiental é fundamental para a manutenção do funcionamento ecossistêmico. As florestas e toda a vida que tem nelas são dependentes da água desde plantas medindo poucos centímetros no sub-bosque, até árvores com dezenas de metros de altura. Para tanto, essas plantas dependem da água da chuva e dos rios próximos e também de rios subterrâneos.

Nós seres humanos somos dependentes desse equilíbrio ambiental, a presença das florestas é primordial para nossa existência, elas são fonte de vida, dos serviços ambientais tais como, nossos alimentos, recursos energéticos, nossa água potável.

Porém, as formações florestais no Brasil têm um passado de degradação ambiental que resultou em uma exorbitante redução da sua extensão da cobertura vegetal, e hoje em dia apesar de entendermos a importância das florestas para a nossa sobrevivência a realidade não é muito diferente, no ano de 2020 ao todo, foram 9205 km² desmatados, o equivalente a 1.100.000 campos de futebol (Greenpeace Brasil).

Além dos desmatamentos, nos últimos anos tem ocorrido um alerta diante dos problemas com os recursos hídricos, seja com a escassez de água durante o período de seca, seja com o excesso de água e as recorrentes inundações na época chuvosa. Diante disso, fica claro que essas alterações são influenciadas pela baixa taxa de infiltração no solo devido à falta de cobertura vegetal (ocasionada pelo desmatamento) que é fundamental para, diminuir a velocidade que a água da chuva chega ao solo, diminuindo assim seu escoamento superficial o que pode ocasionar em enchentes e erosões (Freitas et al. 2013).

Quando a água da chuva precipita sobre a mata ela pode seguir dois caminhos: no primeiro deles ela volta à atmosfera por evaporação do solo e da planta (evapotranspiração); no segundo ela atinge o solo, através das folhas ou das cascas das árvores. Em seguida, parte da água que chega ao solo sofre escoamento superficial e vai para os reservatórios e mananciais e a outra parte fica armazenada temporariamente no solo (infiltração), o que vai sustentar os lençóis freáticos e mananciais subterrâneos (Freitas et al. 2013).

Por tanto, fica nítido a importância da manutenção e preservação das florestas para a “existência” da água para os mais diversos fins, sejam eles, a agricultura, produção de energia, lazer, transporte, higiene, água potável para consumo, dentre outros fins.

Assim, a Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas atua na sociedade através de projetos que visam a preservação e conservação da Mata Atlântica, suas fitofisionomias, e seus recursos hídricos; pela produção de estudos e parcerias neste bioma; além da produção e doação de mudas nativas para a população.

Fotos:Angela Liberali Pinheiro (1,2) e Ernesto de Oliveira Canedo Júnior (3).

FREITAS, J. P. O. D.; DIAS, H. C. T., BARROSO, T. H. A.; POYARES, L. D. B. Q. Distribuição da água de chuva em Mata Atlântica. Revista Ambiente & Água, v. 8, n. 2, p. 100-108, 2013.

Valid XHTML 1.0 StrictCSS válido!