Sobre o Jardim Botânico de Poços de Caldas

 

 

 

 

JARDIM BOTÂNICO DE POÇOS DE CALDAS

MINAS GERAIS | BRASIL

 

 

Rua: Paulo de Oliveira, 320

Bairro: Parque Véu das Noivas / cep: 37704-377

Telefone: (35) 37156054   

Site: http://jardimbotanico.pocosdecaldas.mg.gov.br/

E-mail: jorgejabur@pocosdecaldas.mg.gov.br

Ano de fundação: 2003

Localização: 21°47'09,7"S e 46°34'14,4"W

Dimensões: 450 mil m2 ( 45 hectares )

Vinculação/Administração: Municipal

Principais atividades: Pesquisa, Conservação e Educação ambiental para a Conservação da Flora do Planalto de Poços de Caldas

Acervo: Coleção de Orquídeas, Bromélias, Pteridófitas (Samambaias), Araceae (Antúlho) e coletas herborizadas do planalto . 

 

Registro na BGCI e Agenda Internacional para Conservação da Flora:

http://www.bgci.org/garden.php?id=4184

          

 

Dirigentes:

 

Tarciso Loyola

Presidente do Conselho de Curadores da FJBPC

 

Jorge Elias Jabur

Presidente da FJBPC

 

Hudson Luiz Vilas Boas

Diretor Técnico Administrativo

 

João Paulo Braga

Diretor Técnico Científico

           

 

  O Jardim Botânico de Poços tem sua gestão pela Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas, que foi criada pela Lei Complementar n. 37 , em 2003.

    A instituição foi criada dentro dos conceitos instituídos para um Jardim Botânico, que declarou sua Visão e Missão em março de 2004:

 

VISÃO

A Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas busca ser  referência em educação ambiental, pesquisa, conservação e manejo de plantas, com ênfase na flora regional.

 

MISSÃO

Atuar na conservação da flora, em especial a do Planalto de Poços de Caldas e região, através da pesquisa, educação ambiental e manutenção de um acervo, em observação aos preceitos legais e científicos, contribuindo para a meta global de manutenção da biodiversidade para as futuras gerações.

        

UM JARDIM NA CRATERA DE UM VULCÃO

     Com o lema “Ele será para outras gerações, mas o privilégio de inicia-lo é nosso!”, a Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas começou suas operações em 11 de outubro de 2003 e desde então trabalha para implantar esse primeiro centro de estudos sobre a flora do Planalto de Poços de Caldas. Sua missão é atuar na conservação da flora, em especial a do Planalto de Poços de Caldas e região, através da pesquisa, educação ambiental e manutenção de um acervo, em observação aos preceitos legais e científicos, contribuindo para a meta global de manutenção da biodiversidade para as futuras gerações.

        O Jardim Botânico ocupa uma área de 45 hectares com vegetação representativa da região, onde estão implantadas trilhas interpretativas, coleções e seu centro de visitantes, laboratório e herbário. Ele desenvolve um trabalho pioneiro na aplicação de conceitos para uma arquitetura sustentável no projeto e obra de suas edificações e em seu paisagismo, tendo recebido o Premio Mineiro de Iniciativas para a Sustentabilidade, promovido pela FEAM e pelo Governo de Minas Gerais.

       O Jardim Botânico é responsável pela gestão da unidade de conservação Parque da Serra de São Domingos, com extensão aproximada de 260 ha de floresta semidecídua e campos de altitude.

      Trata-se de uma situação geológica, geográfica e ambiental única. O conjunto preservado situa-se na borda de um vulcão extinto há milhões de anos, sobre solos eutróficos de origem vulcâA Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas busca ser  referência em educação ambiental, pesquisa, conservação e manejo de plantas, com ênfase na flora regional.Atuar na conservação da flora, em especial a do Planalto de Poços de Caldas e região, através da pesquisa, educação ambiental e manutenção de um acervo, em observação aos preceitos legais e científicos, contribuindo para a meta global de manutenção da biodiversidade para as futuras gerações.

Com o lema “Ele será para outras gerações, mas o privilégio de inicia-lo é nosso!”, a Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas começou suas operações em 11 de outubro de 2003 e desde então trabalha para implantar esse primeiro centro de estudos sobre a flora do Planalto de Poços de Caldas. Sua missão é atuar na conservação da flora, em especial a do Planalto de Poços de Caldas e região, através da pesquisa, educação ambiental e manutenção de um acervo, em observação aos preceitos legais e científicos, contribuindo para a meta global de manutenção da biodiversidade para as futuras gerações.

        O Jardim Botânico ocupa uma área de 45 hectares com vegetação representativa da região, onde estão implantadas trilhas interpretativas, coleções e seu centro de visitantes, laboratório e herbário. Ele desenvolve um trabalho pioneiro na aplicação de conceitos para uma arquitetura sustentável no projeto e obra de suas edificações e em seu paisagismo, tendo recebido o Premio Mineiro de Iniciativas para a Sustentabilidade, promovido pela FEAM e pelo Governo de Minas Gerais.

       O Jardim Botânico é responsável pela gestão da unidade de conservação Parque da Serra de São Domingos, com extensão aproximada de 260 ha de floresta semidecídua e campos de altitude.

      Trata-se de uma situação geológica, geográfica e ambiental única. O conjunto preservado situa-se na borda de um vulcão extinto há milhões de anos, sobre solos eutróficos de origem

nica, extremamente férteis e ricos em minerais, marcados pela ocorrência de diversas fontes de água mineral e afloramentos rochosos. A altitude do Planalto de Poços de Caldas e sua interação com as massas de ar favorecem precipitações a barlavento, reduzem a evapotranspiração e promovem um balanço hídrico excedentário. A vegetação exuberante reveste toda a encosta, marcada pela presença de araucárias, a árvore símbolo da Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas. Em certos locais, o relevo mais parece uma falésia entalhada por cursos de água e, próximo da sede do Jardim, existe uma imponente cachoeira.

        A Fundação desenvolve o projeto Conhecer para Conservar: Revelando a Flora do Planalto de Poços de Caldas. Seu primeiro objetivo é documentar a diversidade de plantas do planalto de Poços de Caldas através do resgate da obra de Regnell e de coletas botânicas, obtendo uma seleção de espécies originais desse planalto. Elas estão constituindo a primeira coleção de plantas vivas, o banco de germoplasma e a base do herbário do Jardim Botânico.

      O herbário beneficia-se dos resultados do extraordinário trabalho de pesquisa realizado na época do Império do Brasil pelo naturalista sueco Anders Fredrik Regnell. Ele viveu no município de Caldas (MG) de 1840 a 1884, data de sua morte. Nesse período realizou intensas expedições para coleta de exemplares de vegetação da região. Esse material foi herborizado e enviado à Suécia e ao Museu Nacional, no Rio de Janeiro, ao longo do século XIX. Muitas coletas são Tipos Nomenclaturais utilizados para a descrição das espécies, o que engrandece ainda mais a obra de Regnell.

       O conhecimento da história do naturalista sueco Anders Fredrik Regnell, pioneiro no estudo botânico da região, vinculado aos conhecimentos de conservação em Jardins Botânicos , produzirá programas de educação ambiental direcionados aos visitantes e turistas e, mais especificamente, aos alunos e professores da rede pública de ensino de Poços de Caldas e Caldas, no sentido de conhecer a natureza para melhor conservar.

    O projeto também objetiva conservar a diversidade das plantas do planalto através da proteção das espécies nativas em seus habitats originais, no cultivo e na manutenção de plantas nativas nas coleções de plantas vivas ex situ, no Jardim Botânico. Ele busca criar e implementar um programa contínuo de Educação para a Conservação da Diversidade de Plantas do Planalto de Poços de Caldas, com estruturação e institucionalização de equipes de educação ambiental. Sua missão é atuar junto ao público em geral e profissionais do setor, através de palestras, visitas programadas, técnicas e práticas desenvolvidas no local, resguardando a cultura regional.

     O Jardim Botânico de Poços de Caldas se pauta pelas normas e recomendações da Rede Brasileira de Jardins Botânicos, atendendo a missão global dos jardins botânicos estipulada pelas Normas Internacionais de Jardins Botânicos e pela Estratégia Global para Conservação de Plantas, e atua junto à Rede na elaboração de planos diretores de ocupação, projetos de arquitetura, paisagismo e na estruturação espacial dos jardins em fase de implantação ou remodelação, como no futuro Jardim Botânico de Cubatão.

             

Valid XHTML 1.0 StrictCSS válido!