PROJETO PARIPAROBA – ETNOBOTÂNICA

APRESENTAÇÃO

 

O termo “etnobotânica” surgiu em 1895 com os estudos do botânico norte americano John W. Harshberger, como sendo uma área de estudos sobre plantas utilizadas por povos primitivos (Balick & Cox, 1996). Heinrich et al. (2004) conceituaram a etnobotânica como:

 

... ciência que estuda a relação entre humanos e plantas em toda sua complexidade, e é baseada geralmente na observação detalhada e estudo do uso que uma sociedade faz das plantas, incluindo as crenças e práticas culturais associadas com este uso. Foca não somente as plantas medicinais, mas também outros produtos derivados da natureza, como: alimentos, plantas utilizadas em rituais, corantes, fibras, venenos, fertilizantes, materiais de construção para casas, barcos, ornamentos, óleos, etc.

 

Na atualidade o conceito de etnobotânica evoluiu agregando novos aspectos como as diversas técnicas de manejo empregadas na conservação de espécies vegetais, componentes ecológicos, valor e importância dos recursos naturais para as comunidades (Magalhães, 2006). Com isso apresenta várias aplicações, entre elas: valorização da diversidade cultural e vegetal; resgate, valorização e entendimento sobre as dinâmicas do conhecimento tradicional a respeito da utilização da flora; conservação da flora; desenvolvimento científico e tecnológico baseado na diversidade e potencialidade vegetal (CEE, 2016).

Sendo assim, o projeto Pariparoba busca explorar as vertentes apresentadas acima, resgatando os aspectos que definem a utilização de plantas nas seguintes áreas: terapêutica, litúrgica, agrícola, artística, engenharia e gastronômica.

 

Para maiores informações sobre o projeto entre em contato através do email: regnelleascientia@outlook.com

 

  Acesse o link https://www.youtube.com/watch?v=A8QZ4xgap4s, assista ao vídeo ilustrativo e conheça do que trata o projeto.

 

Referências

 

Balick, M. & Cox, P.1996. Plants, People and Culture. The Science of Ethnobotany, Scientific American Library. USA. 228 pp.

 

CEE. 2016. Centro de Estudos Etnofarmacológicos. UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo. Disponível em: http://www.cee.unifesp.br/etnofarmacologia.htmAcesso em: 12/12/2016.

 

Diegues, A. C. 2001. O Mito Moderno da Natureza Intocada. 3° edição. Editora Hucitec. São Paulo – SP.

 

HEINRICH, M.; BARNES, J.; GIBBONS, S.; WILLIAMSON, E. M. 2004. Fundamentals of Pharmacognosy & Phytotherapy. Edinburgh: Churchill Livingstone, 2004. 320 p.

Categoria: 
Conservação
Pesquisa

PREFEITO ELEITO VISITA INSTITUIÇÃO

Comitiva, integrada pelo vice e integrantes da equipe de transição, foi recebida pelo presidente e pelo assessor de imprensa da FJBPC

O prefeito eleito nas últimas eleições para o mandato 2017/2020, Sérgio Azevedo, visitou, recentemente, as instalações da Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas (FJBPC), instituição da administração indireta da Administração do município Sul mineiro. Ele esteve acompanhado de seu vice, Flávio Faria, do coordenador de sua equipe de transição, Celso Donato, e da integrante da mesma equipe e servidora pública municipal há quase 30 anos, Ana Alice de Souza.

O futuro prefeito, que assume a cadeira de chefe do Executivo poços-caldense a partir de janeiro de 2017, foi recebido pelo presidente da FJBPC, Jorge Elias Jabur Júnior, e pelo assessor de Imprensa e Comunicação Social da instituição, jornalista P. A. Ferreira, no gabinete da Presidência.

Durante o encontro, os representantes da FJBPC buscaram colocar o prefeito eleito e sua comitiva a par dos avanços registrados durante a atual gestão da instituição, os trabalhos que foram e que estão sendo realizados, em especial pelo Departamento Técnico-Científico dentro do Laboratório de Manejo Vegetal “Décio Moraes Ribeiro” e, em particular, os avanços em pesquisas no Laboratório de Cultivo in vitro “Guilherme Moraes Ribeiro”, que são os mais modernos e bem equipados do interior do Brasil.

O prefeito eleito também foi informado sobre as obras realizadas, como o Complexo de Captação e Reservação de Água “José Aurélio Vilela”, que traduz em considerável economia no consumo de água tratada fornecida pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto de Poços de Caldas (DMAE-PC) para irrigação das estufas e demais áreas da FJBPC.

Outros pontos foram enfatizados à comitiva do prefeito eleito, como a assiduidade e ampliação, de um ano para outro, dos repasses mensais pela atual Administração Municipal, algo que não ocorria em gestões passadas, recursos previstos no orçamento e que são utilizados para custeio da folha de pagamento e encargos sociais; recursos oriundos de convênios com empresas da iniciativa privada e com entes da administração pública municipal que são utilizados em investimentos, obras e pesquisas; e, algo que é considerado fundamental para a evolução da Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas, tanto em relação à mudança de categoria, passando da atual categoria “C” para a “A”, quanto, e principalmente, para seguimento das pesquisas, que é a aprovação do Plano de Cargos e Salários, uma vez que os atuais funcionários, em sua maioria, são profissionais contratados, só podendo prestar serviço público, conforme disciplina a lei, por no máximo dois anos, colocando em risco todo um trabalho voltado para a pesquisa da flora do Planalto de Poços de Caldas, em especial as espécies listadas em risco de extinção ou em extinção.

Terminado o encontro no gabinete da Presidência, o prefeito eleito e sua comitiva, acompanhados pelo presidente da instituição, pelo assessor de Imprensa e Comunicação Social, pelos diretores dos departamentos Administrativo-Financeiro e Técnico-Científico, respectivamente, Nilton Gonçalves Granato e João Paulo de Lima Braga, bem como pelo ex-diretor Administrativo-Financeiro da FJBPC, Bruno Figueiredo, foram apresentados aos funcionários de cada setor do Jardim Botânico e levados para conhecer todas as instalações, desde a sala destinada à Assessoria de Imprensa e Comunicação Social, onde antes existia um fogão à lenha, um forno de pizza e uma churrasqueira, até às estufas, depois de passar pelo herbário e pelos laboratórios de Manejo Vegetal e de Cultivo “in vitro”.

Categoria: 
Conservação
Educação Ambiental

EPTV DESTACA AÇÕES DA FJBPC EM MATÉRIA ESPECIAL

Reportagem evidenciou o recorde de visitação registrado no mês das férias escolares e a atividades desenvolvidas na instituição

A Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas e suas instalações voltaram a ser destaque em reportagem da EPTV Sul de Minas em sua 1ª ediçao do dia 14 de setembro e a matéria está disponível no portal G1 Sul de Minas  sob o título "Jardim Botânico recebe turistas e ganha destaque em Poços de Caldas".

Na matéria, o repórter Thalles Bruno, com imagens captadas pelos repórteres cinematográficos Marcelo Rodrigues e Douglas Quintas, destaca as atividades desenvolvidas pelos vários profissionais da instituição, principalmente da área técnico-científica e da Divisão de Educação Ambiental, que vem chamando a atenção dos poços-caldenses e visitantes, tanto que, somente no 1º semestre deste ano, mais de 1.500 pessoas visitaram o Jardim Botânico, um recorde, já que este número é praticamente o total registrado em todo o ano passado.

Somente entre os dias 1 e 31 do mês das férias escolares desde ano passaram pelo Jardim Botânico 1.025 pessoas de todas as idades e de várias cidades e estados brasileiros. Este número é 459,65% superior na comparação com o mesmo mês em 2015, quando a instituição recebeu 223 visitantes.

Se você não assistiu à reportagem, não se preocupe, basta clicar no link http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/jornal-da-eptv/videos/t/edicoes/v/jardim-botanico-recebe-turistas-e-ganha-destaque-em-pocos-de-caldas-mg/5305748/.

Categoria: 
Conservação

JARDIM BOTÂNICO OBTÉM SUCESSO NA PRODUÇÃO DE ESPÉCIES AMEAÇADAS

Trabalho desenvolvido pelo Departamento Técnico-Científico buscar tirar espécies da lista vermelha

Desde o ano passado, a Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas, instituição de administração indireta da prefeitura do município Sul-mineiro, realiza trabalhos a fim de preservar as espécies da flora do Planalto de Poços de Caldas que estão ameaçadas de extinção. A equipe do Departamento Técnico-Científico, através de metodologias, visa tirar da lista vermelha as 14 espécies encontradas dentro do Planalto que estão em risco de desaparecimento.

A primeira fase deste trabalho foi identificar e catalogar estas espécies, incluindo seu mapeamento com o auxílio de um GPS. Posteriormente, foi iniciada a coleta de sementes destas espécies para a produção de mudas, muitas destas coletas são realizadas no município de Caldas. No caso das pteridófitas (samambaias), a equipe faz a coleta da própria planta, com a retirada de seus esporos, parte da samambaia usada para germinação, e levada para multiplicação no laboratório de cultivo in vitro da FJBPC.

Os trabalhos começaram no segundo semestre do ano passado, desde então a instituição vem obtendo considerável sucesso na produção de mudas de 9 espécies: o cedro-rosa, cedrinho-do-brejo, palmito-juçara, canela-sassafrás, pinheiro-brasileiro, catuabinha-do-campo e Sinningia striata (sem nome popular). Entre as pteridófitas, a Dicksonia sellowiana (xaxim verdadeiro)eaCheilanthes regnelliana (sem nome popular) foram as que conseguiram ser desenvolvidas.O próximo passo é usar estas mudas nos plantios de recuperação de áreas degradadas e a reintrodução na natureza.

Para conhecimento dessas espécies, o Jardim Botânico também irá lançar, em breve, um guia fotográfico com todas as 14 espécies ameaçadas para que haja colaboração da comunidade na preservação e conservação ambiental.

Instituição

Localizado à Rua Paulo de Oliveira, 320, Parque Véu das Noivas, zona Oeste de Poços de Caldas, o Jardim Botânico está aberto para visitas gratuitas de segunda a domingo das 10h às 16h, inclusive aos feriados.

A região é atendida pela linha Véu das Noivas/Vale das Antas da Circullare, concessionária do transporte coletivo urbano de passageiros, com saídas da esquina da Avenida Francisco Salles com a Rua Rio Grande do Sul a cada hora a partir das 6h20.

A instituição poços-caldense é destaque no cenário nacional, sendo detentora de considerável coleção de samambaias do país, bem como de orquídeas, antúrios, além de vasta propagação de espécies da flora do Planalto de Poços de Caldas e abrigar de um dos mais modernos e bem equipados laboratórios de manejo vegetal e cultivo “in vitro” do interior do Brasil.

Visitação

Tanto para a visitação orientada de grupos às instalações do Jardim Botânico de Poços de Caldas, quanto para a visita da Divisão de Educação Ambiental, através do “Jardim Botânico Vai à Escola”, projeto que faz parte do Programa Permanente de Educação Ambiental “Cultivando Minha Cidade”, o responsável pela unidade educacional pode entrar em contato para agendamento pelo telefone (35) 98427-2036 ou pelo e-mail educacaoambiental.fjbpc@yahoo.com.br, diretamente com a Divisão de Educação Ambiental.

Categoria: 
Conservação
Pesquisa
Projetos Especiais

FJBPC E APIS-POÇOS FIRMAM PARCERIA

As instituições assinaram pacto para criação de meliponário e realização de pesquisas da vida das abelhas do Planalto

A Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas (FJBPC), instituição de administração indireta da prefeitura do município Sul-mineiro, realizou na tarde da última quinta-feira, 10, a cerimônia de assinatura do convênio com a Associação dos Apicultores do Planalto de Poços de Caldas e Região (APIS-Poços). Parceria que visa a implantação de meliponário nas instalações do Jardim Botânico, bem como a realização de estudos e pesquisas relacionados à apicultura na região, de modo a incentivar à implantação de colônias de melíponas – abelhas nativas indígenas – que são desprovidas de ferrão e excelentes polinizadoras.

O evento, realizado no Centro de Visitantes do Jardim Botânico, contou com a participação do presidente da FJBPC, Jorge Elias Jabur Jr., do diretor Técnico-Científico, João Paulo de Lima Braga, e do diretor Administrativo-Financeiro, Bruno Alberto Jorge Figueiredo, além de representantes da APIS-Poços, e de seu presidente, Joel Torres.

A cerimônia também teve a presença do ex-vereador do PSDB, Álvaro Cagnani, da bióloga e doutora em Entomologia, Isabel Valle Teixeira, e da mestra em Geociências/Geografia, com ênfase em Palinologia, Melina Mara de Souza, e de funcionários da FJBPC.

Serão competências da APIS-Poços, conforme o termo de convênio, o fornecimento dos enxames de abelhas indígenas sem ferrão de espécies distintas e assistência técnica para execução do projeto, ao passo que será de competência da FJBPC, através da Divisão de Educação Ambiental (DEA), efetivar a criação do meliponário com materiais, espaço físico, equipamentos e mão de obra necessárias, além de acompanhar o desenvolvimento das espécies, juntamente com membros da APIS-Poços.

Conforme declarações do biólogo Gustavo Fonseca, coordenador da DEA/FJBPC e idealizador do convênio, “a celebração da parceria com APIS-Poços é de fundamental importância uma vez que os insetos, em especial as abelhas, cumprem um papel imprescindível, transportando o pólen entre as plantas e, garantindo assim, o processo de variação genética, sendo um dos principais mecanismos de manutenção e equilíbrio dos ecossistemas. Além disso, constitui uma importante ferramenta para conscientização e Educação Ambiental”.

Categoria: 
Conservação
Pesquisa
Educação Ambiental

Valid XHTML 1.0 StrictCSS válido!